RODA DE LEITURAS DONALD KEENE – Leitura e Discussão da Obra “Yoshimasa and the Silver Pavilion: The Creation of the Soul of Japan”

22/08/2019 03:54

Em homenagem ao grande nipólogo Donald Keene (1922-2019), o NEJAP realizará neste segundo semestre a leitura de uma de suas obras em língua inglesa, que vai de encontro aos temas abordados nos estudos dos anos anteriores. Trata-se da análise da vida e dos tempos de Ashikaga Yoshimasa, shogun durante a conturbada Guerra Onin (1467-1477), que devastou o Japão e deu início ao chamado Sengoku Jidai – “Período dos Reinos em Guerra.” As leituras ocorrem quinzenalmente, às segundas-feiras, a partir de 26/08, na sala 312 do Bloco D do CFH, das 19 às 21:30 horas. Para inscrever-se e ter acesso ao material, basta enviar um e-mail a nejap@nejap.ufsc.br com o título “Inscrição Roda de Leituras”, declarando interesse em participar. A atividade concederá certificado de participação de 12,5 horas aos que obtiverem mais de 75% de presença.

No dia 26/08, à tarde, também será realizada uma breve aula introdutória de história e cultura do Japão medieval, de modo a facilitar o entendimento da obra.

Para ter acesso ao calendário completo, clique aqui.

 

IV Colóquio NEJAP de Estudos Japoneses – O Horror e o Sobrenatural no Japão: Estudos Transversais

15/07/2019 16:02

Seguindo a tradição que instituímos em 2016, é com muita satisfação que anunciamos que o NEJAP vai para seu quarto Colóquio anual, desta vez com uma proposta bastante diferente: o estudo do horror e sobrenatural no Japão, abrangendo as mais diversas mídias – do folclore ao cinema – e as mais diversas áreas de estudo: antropologia, história, estudos folclóricos, literatura, psicologia, cinema, teatro, artes visuais, sociologia, dentre outras.
O evento, auspiciosamente, ocorrerá dia 31/10, podendo ser estendido para 01/11 se houver necessidade, e será precedido por exibições de clássicos do terror japonês, anunciadas a seu tempo.

Para isto, convidamos a todos a enviarem propostas para comunicações orais de 25 minutos.

TEMAS CONTEMPLADOS

 

As propostas enviadas devem contemplar um dos tópicos abaixo, propondo-se a analisá-lo de maneira crítica, por meio dos instrumentos formais de análise da área de estudos em questão, seja esta a antropologia, sociologia, história, história da arte, teoria literária, análise do discurso, psicologia, ou outras áreas das Humanidades:

  • Horror no cinema, literatura, quadrinhos e outras mídias no Japão
  • Folclore e lendas urbanas japonesas
  • A representação do sobrenatural nas artes visuais
  • Presença do sobrenatural em relatos do passado e presente
  • Superstições e sua influência no cotidiano japonês
  • Práticas mágicas no Japão através dos tempos
  • Horror, lendas, e relações sociais e de gênero

Caso algumas propostas submetidas não encaixem-se completamente em uma das áreas acima, as mesmas serão analisadas pela comissão organizadora do evento, caso por caso.

 

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE PROPOSTAS

 

Interessados em enviarem propostas devem seguir as regras dispostas acima, enviando um e-mail para nejap@nejap.ufsc.br com o título “Proposta para IV Colóquio”. No e-mail, deverão informar nome, vínculo institucional e situação acadêmica, título da proposta, resumo de até 500 palavras (sem contar os espaços), 3 a 7 palavras-chave, e pelo menos 3 referências bibliográficas segundo as normas da ABNT. As comunicações apresentadas podem ser investigações em curso, não necessitando serem trabalhos completos, no entanto, a solidez da problemática de pesquisa será avaliada. É recomendado incoporar ao resumo a(s) fonte(s) primária(s) analisada(s) no trabalho, quando couber.
Aceitamos submissões de graduados e graduandos, e conferimos certificado de apresentação.

Atenciosamente, Equipe NEJAP

Palestra de Bolsas do MEXT para estudos no Japão será realizada dia 22/04

16/04/2019 15:41

Nesta próxima segunda-feira, dia 22/04, o Consulado Geral do Japão em Curitiba – em parceria com o NEJAP e o Curso de Extensão em Japonês da UFSC – estará realizando sua palestra anual sobre as bolsas do MEXT para graduação e pós-graduação no Japão. A palestra visa esclarecer os processos de inscrição e seleção de bolsistas, as modalidades de bolsas ofertadas, e sanar dúvidas dos interessados. O início da palestra será às 19 horas, e esta será realizada no Auditório Elke Hering, no prédio da Biblioteca Universitária (BU).

Compareçam, e venham conhecer esta excelente oportunidade de estudos no exterior!

 

Programação do “Terceiro Colóquio NEJAP de Estudos Japoneses – Relações Japão-mundo: Perspectivas Históricas, Culturais e Sociais”

12/11/2018 21:35

O NEJAP realiza nesta terça-feira, dia 13/11, seu terceiro colóquio, tradição iniciada três anos atrás. Em homenagem aos 110 anos de imigração japonesa ao Brasil, a programação girará em torno dos intercâmbios culturais, sociais, econômicos e políticos que o Japão manteve com o mundo ao longo de sua história, pondo abaixo de uma vez por todas as falaciosas noções de que na história do Japão predominou o isolacionismo, de que o afastamento geográfico para com o continente serviu como obstáculo para contatos, e de que o Japão é culturalmente fechado, avesso a intercâmbios com outros povos.

O evento concederá separadamente certificado de 4 horas para os ouvintes da parte da tarde, e 3 horas para os participantes do minicurso, na parte da manhã.

Segue a programação do evento:

MANHÃ – MINICURSO

MINICURSO: A HISTÓRIA MILITAR DO IMPÉRIO DO JAPÃO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX (09:00 – 11:30)
Ministrante: Hugo Gabriel de Souza Leão Machado (mestrando de Relações Internacionais pela PPGRI-UFSC, e membro do NEJAP)

Resumo: na primeira metade do século XX, o Japão emergiu como uma das maiores potências militares do mundo, conquistando diversos territórios na região Ásia-Pacífico. O principal motor da fase expansionista japonesa foi o processo de reestruturação política que o país atravessou durante a Restauração Meiji (1868). O retorno do Imperador ao poder serviu para unir o país em torno de um objetivo principal: a sua ascensão como importante líder internacional. Desde então, o governo japonês passou a traçar o plano de expansão territorial do país, com o objetivo de formar na Ásia Oriental o Grande Império do Japão, o qual foi intitulado de Esfera de Co-prosperidade do Leste Asiático. A partir da crença do dever nipônico de liderar os povos asiáticos, o Japão deu início a sua expansão territorial. Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1917) os japoneses estiveram ao lado de britânicos e americanos, o que garantiu a sua atuação quase que exclusiva na frente oriental. A partir desse conflito, o Japão conquistou importantes territórios, antes ocupados pelos alemães, na parte continental da Ásia. A sua aliança com o ocidente perdurou até meados da década de 1930, quando o governo japonês, percebendo que não contaria com o respaldo norte-americano para suas ações militares, decidiu se retirar da Liga das Nações. Desde então, houve um escalonamento de tensão no Nordeste Asiático, com a ocupação japonesa na Manchúria (1931) e Nanquim (1937), eventos que culminaram na Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Esse conflito teve seu término em agosto de 1945, quando duas bombas atômicas, das Forças Armadas norte-americanas, foram lançadas sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki. A derrota nipônica na guerra implicou no fim do seu plano expansionista na Ásia, uma vez que as Forças Armadas do Japão foram desmanteladas, durante a fase de ocupação militar no seu território (1945-1952). A história militar nipônica, no período acima elencado, é bastante interessante para a compreensão da política de defesa do país durante a Guerra Fria e atualmente. A imagem do Japão pacifista foi construída durante a Guerra Fria, a partir da adoção de uma agenda de política externa voltada a diplomacia multilateral voltada, principalmente, para assuntos econômicos.
Palavras-chave: Japão; Expansionismo; História da Guerra

TARDE – COMUNICAÇÕES ORAIS

O ZENRIN KOKUHŌKI DE ZUIKEI SHŪHŌ E AS RELAÇÕES DO JAPÃO COM O CONTINENTE ASIÁTICO ENTRE OS SÉCULOS XI-XV: COMÉRCIO, RELIGIÃO E DIPLOMACIA (14:00 – 14:40)
Comunicador: Kauê Otávio (graduando em História pela UFSC, e membro do NEJAP)

Resumo: a obra Zenrin Kokuhōki, escrita em 1470 pelo monge Zuikei Shūhō, foi uma das primeiras tentativas de se escrever uma história das relações internacionais do Japão, e seu objetivo era servir de guia para a condução das boas relações com os vizinhos asiáticos, sobretudo a China Ming. A presente pesquisa, em estágio preliminar, pretende apresentar um pouco desta curiosa obra, ao mesmo tempo que sumariza os pontos centrais de cinco séculos de relações internacionais do Japão, dos séculos XI ao XV, em seus principais eixos: o econômico, o religioso, e o político.
Palavras-chave: Japão Medieval; Relações Japão-China; Relações Internacionais do Japão; Budismo; Comércio Marítimo Asiático

SAKOKU: SUAS ORIGENS, SUAS INTERAÇÕES E SEU FIM (14:40 – 15:20)
Comunicador: Márcio Cardoso Lisboa Junior (bacharel em Direito pela UNIVALI, graduando em História pela UFSC, e membro do NEJAP)

Resumo: o Japão século XVII foi marcado por uma política chamada Sakoku: o fechamento total de suas fronteiras para estrangeiros e a proibição de saída para seus cidadãos. Ou pelo menos, esta é a versão “oficial”. Esta apresentação tem como objetivo mostrar o Sakoku sob outra ótica: Como um processo/projeto histórico e com uma flexibilidade muito maior do que a imaginada pelo senso comum.
Palavras-chave: Sakoku; Japão; Isolacionismo; Reabertura

IMIGRAÇÃO JAPONESA NO BRASIL E EM SANTA CATARINA: PEQUENO HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA AO BRASIL E SUA CONTRIBUIÇÃO À ECONOMIA CATARINENSE (15:20 – 16:00)
Comunicador: Iochihiko Kaneoya (bacharel em Direito pela USP, pesquisador independente de cultura japonesa e coordenador do Nipocultura)

Resumo: no ano em que se comemora os 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil, este estudo pretende apresentar um panorama geral de como se deu o processo de imigração dos japoneses ao território brasileiro, incluindo ao estado de Santa Catarina, e analisar sua contribuição na economia local.
Palavra-chave: Imigração Japonesa no Brasil; Imigração Japonesa em Santa Catarina; Aniversário de 110 anos da Imigração Japonesa

16:00 – 16:20 – Intervalo

DO PERIGO AMARELO À MINORIA MODELO: IDENTIDADE NIKKEI, RELAÇÕES RACIAIS BRASILEIRAS E CONTEMPORANEIDADE (16:20 – 17:00)
Comunicadora: Gabriela Akemi Shimabuko (graduanda em Ciências Sociais pela Unesp/FCLAr)

Resumo: no Brasil, onde existe a maior população “japonesa” fora do Japão, prevalece a ideia dessa demografia enquanto estrangeira, sustentada pela construção de uma brasilidade homogênea e excludente. Articulando conceitos de cidadania, pertencimento e assimilação dentro do panorama histórico da formação do Estado-nação brasileiro e no cenário internacional, pretendo explorar o papel ambíguo de nikkeis nas relações raciais brasileiras e as constantes negociações identitárias que permitem a instrumentalização de “japoneses” por discursos fascistas, tanto presentes quanto do passado. O fenômeno – histórica e politicamente construído – da “mobilidade racial” nipo-brasileira aprofunda a questão dos processos de racialização no Brasil e na América Latina, exigindo uma discussão que abarque não somente o “outro”, mas que questione também a branquitude e a própria de “Ocidente”.
Palavras-chave: 
Relações Raciais; Identidade Nikkei; Minoria Modelo; Perigo Amarelo

DO PACIFISMO DA CONSTITUIÇÃO DE 1947 AO MILITARISMO NOS GOVERNOS KOIZUMI (2001-2006) E ABE (2006-2007): A REDEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE DEFESA DO JAPÃO NO SÉCULO XXI (17:00 – 17:40)
Comunicador: Hugo Gabriel de Souza Leão Machado (mestrando de Relações Internacionais pela PPGRI-UFSC, e membro do NEJAP)

Resumo: em maio de 1947, entrou em vigor uma nova Constituição do Japão, conhecida por seu caráter pacifista, ela foi responsável por extinguir as Forças Armadas do país e, assim, dar início a uma nova fase na Política Externa japonesa. Durante os anos da Guerra Fria, o governo nipônico perseguiu uma agenda política centrada em questões de âmbito econômico, fruto do pacote de diretrizes conhecido como Doutrina Yoshida, que incluía também a nãointervenção em conflitos externos. Naquele momento, o principal pilar da Política de Defesa do Japão era a aliança militar formada com o governo estadunidense, em 1952, que garantia a proteção do território nipônico contra eventuais ataques. Após o fim do conflito, no início dos anos 1990, os debates sobre a possibilidade de renovação da agenda de defesa do Japão emergiram, principalmente, devido às pressões para que o país tivesse uma atuação políticomilitar condizente aos seus status de potência econômica. No século XXI, os governos de Junichiro Koizumi (2001-2006) e Shinzo Abe (2006-2007), ambos pertencentes ao Partido Liberal Democrata do Japão (PLD), foram responsáveis por uma redefinição da Política de Defesa japonesa, sob a justificativa de readequar o país ao novo ambiente de segurança nas esferas regional e internacional. Entretanto, fatores de ordem doméstica, como: o crescimento do nacionalismo e a ascensão do militarismo na agenda política do PLD surgem como prováveis hipóteses a redefinição da agenda política japonesa contemporânea. Partindo da análise de hipóteses de ordem sistêmica e doméstica, o objetivo desse trabalho é investigar as razões para a mudança de caráter da política japonesa, saindo do pacifismo da sua Constituição ao crescimento do militarismo no presente século. Para tanto, duas abordagens teóricas de Relações Internacionais servirão como lentes de análise para o objeto de estudo proposto, são elas: o Realismo Pós-Clássico e o Realismo Neoclássico. 
Palavras-chave:
Japão; Política de Defesa; Militarismo

 

 

Agradecimentos

10/03/2016 02:54

É com enorme prazer que divulgamos a lista dos doadores que contribuíram com nossa campanha na Kickante, “Financiamento para o NEJAP (Núcleo de Estudos Japoneses) da UFSC”. Devemos a cada um de vocês os nossos mais sinceros e profundos agradecimentos. Por mais que tenhamos ficado muito abaixo da meta desejada, sua contribuição foi de suma importância para manter o projeto de pé, e garantir a continuidade de nosso curso em história japonesa, que será divulgado nesta Sexta-feira (11/03).

Abaixo, a lista dos doadores que contribuíram com nossa campanha:

Alyne M. Kautnick
Alessandra Ferreira
Ana Luiza Kavalco Longo
André Akamine Ribas
André Fellipe Martins da Silva
André Miranda
Andressa Alves
Andrey Fillies
Apius Escobar
Brenno Tavares Duarte
Bruno Nascimento
Bruno Ouriques
Bruno Senra

(mais…)